Lílian Maial

Basta existir para ser completo - Fernando Pessoa

Textos


MIL  E  UMA  VEZES
® Lílian Maial
 
 
É como um vento,
uma aurora tonta.
Voltar e voltar à origem de tudo.
A palavra orienta os acenos,
árvores balouçando ao sabor do acaso.
Mil e uma vezes, no meu canto, entoo o lamento
das folhas, saudade arrastada,
e volto e repito e tento outra vez.
Nada acontece ou chega.
O dia acaba igual e fica a velha sensação
de que há alguma coisa lá.

Meu recanto me acolhe em abraços de versos.
Sou ave aninhada com ânsia de voo nas páginas em branco.
Bico o horizonte rabiscado pelos olhos.
Além é o meu lugar, mas ele já passou.
O retorno é a esperança do “de novo” que não vem.
Mil e uma vezes atrás de respostas.
Somente o tempo me dá vazão.
 
*********

*poema para os 1001 textos postados no Recanto das Letras

 
 
Lílian Maial
Enviado por Lílian Maial em 12/10/2010
Alterado em 12/10/2010


Comentários



Site do Escritor criado por Recanto das Letras
 
Tweet