Lílian Maial

Basta existir para ser completo - Fernando Pessoa

Textos


Cárcere
®Lílian Maial
 
 
Urge a palavra perpétua
condenada à boca
solitária
engolida
qual bolo de espinhos
 
A língua lambe
sorve enjaulado grito
feito crime perfeito
violação dos sonhos
 
Os olhos cospem intenções
e não confessam
 
As mãos sacodem as grades
- grilhões de encardida esperança -
trancada às  sete chaves
 
Num canto esquecido
o lacre, no peito, inflama
e escorre
corrosiva dor clandestina
 a clamar justiça e alimento
que a fome não cala com o tempo
 
Ergue-se do cativeiro da inércia
a mão que ara a terra da mudança
 
Revolve o coágulo árido e seco
Pulveriza o suor
Aspergindo a força do homem
O futuro
 
Há que libertar o verbo
convolar os silêncios
e sentenciar  a dor
 
A flor do cárcere desabrocha no poema
 
************
 
 
Lílian Maial
Enviado por Lílian Maial em 23/08/2009


Comentários



Site do Escritor criado por Recanto das Letras
 
Tweet