Lílian Maial

Basta existir para ser completo - Fernando Pessoa

Meu Diário
01/01/2009 16h00
A RESSACA DO DIA PRIMEIRO – VERSÃO 2009
® Lílian Maial


Hoje é o primeiro dia do ano de 2009! Ano regido por Oxóssi, ano de prosperidade.
Diferente dos anos anteriores, não quis fazer "balanço" do ano que se findava. Pela primeira vez, tenho a sensação de continuidade. Não houve a tradicional “quebra” de um ano para outro, nem as não menos tradicionais “promessas” para o ano que se inicia.

O ano de 2008 foi de reorganização e de colher louros por todos os sacrifícios e desacertos dos anos anteriores. Apesar da crise econômica que se abateu sobre o mundo nos últimos meses, não senti o ranço de finais de ano com tristeza e melancolia. Ao contrário, esse mês de dezembro me trouxe recordações alegres e paz interior – uma bênção, por sinal.

Acabei o ano de 2008 com a sensação de volta por cima, de missão cumprida, e uma imensa necessidade de restaurar amizades que não pude intensificar na correria do dia-a-dia, e que acabei deixando amornar no tempo.

Arrumei minha casa, tentei consertar o que estava enguiçado (por dentro e por fora, em casa e em mim), tomei um bom banho de descarrego, e me reuni com a família, para uma simbólica e simples passagem de ano, recebendo os bons fluidos da corrente de alegria e esperança dos sorrisos dos meus queridos.

Não fui à praia, mas senti as ondas positivas, num banho de energia para 2009.
 
Não faltou o consagrado brinde com champanhe à meia-noite, os fogos de artifício vistos da minha varanda, os abraços e felicitações dos familiares, e a certeza de que tinha ali, junto a mim, o que havia de mais importante para desejar em qualquer ano ou momento que fosse.
A poesia do cheirinho dos meus filhos me invadiu. As mordidinhas nos pescocinhos risonhos e a felicidade dos abraços sinceros certamente farão meu 2009 muito especial!
 
Todos ainda dormem. Só eu acordei e agradeci à vida mais um dia tão maravilhoso, de sol e ventos de harmonia. A preguicinha me invadiu, porém fui checar e cheirar a casa toda, como de costume, beijar as crianças sonolentas e saudar e retribuir dos amigos os votos enviados de felicidade para 2009.
O sol é realmente carioca, e veio, com suavidade, combater a ressaca do dia primeiro!

 
Agradeci novamente a dádiva de ter meus filhos junto a mim, minha mãezinha, já bem idosa, e os novos e muito bem-vindos amores, como, por exemplo, a família da minha futura nora adorável!

Curiosamente, neste ano, as ruas não ficaram desertas, e mais vizinhos ficaram em suas casas. Assim, não consegui voltar para a cama, num misto de excitação e ansiedade.
Também não tive a sensação nostálgica de despedida de um ano que se foi, muito ao contrário, sobreveio a certeza de continuidade, de calor humano, de fraternidade, mesmo com as notícias nos jornais teimando em dizer o oposto.

 
Como no ano anterior (talvez daí a impressão de continuidade), um imenso orgulho brotou no canto da boca, com um sorriso inexplicável de Fênix. Fiquei admirada de mim mesma e da indiscutível vontade e capacidade de alçar vôos.

Amigos leitores, nada de tristezas ou sentimentos negativos! Não para nós! Não para este ano!
Somos um povo resiliente e otimista, precisamos nos unir para angariar forças contra qualquer crise, como guerreiros dispostos a defender a bandeira da boa-vontade, da fé no ser humano e na preservação do nosso meio-ambiente, sem deixarmos de lutar pelo que acreditamos.

Sei que 2009 é um ano de esforço coletivo, para que as conquistas tenham um sabor de nosso, que a ultrapassagem de cada obstáculo traga a certeza de equipe, e que os limites nos façam repensar direitos e deveres para conosco, com o próximo e com a natureza.

Só conseguiremos a paz se juntos caminharmos em direção aos nossos sonhos, construindo uma vida melhor em comunidade, comungando com a tolerância e o afeto.

Não prometi nada para este ano de 2009, porque nada poderá ser pensado individualmente. Precisamos surpreender o outro, tomar atitudes fraternas e de realização de planos comuns, com ânimo, alegria e vitalidade.

Continuo agradecendo por tudo o que me aconteceu de positivo, aprendendo com o que foi negativo, e trabalhando para crescer e valorizar o que realmente tem importância.


Está na hora de deixarmos de lado o jeitinho, a arrogância e a inércia, e partirmos para uma vida de muito mais com apenas um pouco, passarmos a agenda a limpo, abraçarmos quem não pudemos, esquecermos o que deve ser esquecido, e ligarmos mais para os que nos são caros.
É tempo de nos perdoarmos nossas ausências e silêncios, e retomarmos os caminhos de amizade e amor.

Posso parecer piegas, mas as palavras me traem porque me conhecem e dominam, têm uma autonomia que conquistaram a duras letras, e já saltam sozinhas para o papel, sem pedir licença. Eu e minhas letras nos tornamos um só!


O ano que passou - bissexto – trouxe certa magia na longa viagem de 366 dias, com muitos símbolos e uma polissemia típica dos poetas sonhadores.

Este ano deverá ser mais lúcido (mas não menos lúdico), a começar por uma ressaca que não houve...

Feliz 2009 para todos nós!

 
**********
 
 

Publicado por Lílian Maial em 01/01/2009 às 16h00



Site do Escritor criado por Recanto das Letras
 
Tweet