Lílian Maial

Basta existir para ser completo - Fernando Pessoa

Textos


QUASE NADA
®Lílian Maial

 
Quase nada é o tanto que me resta agora.
Eu, que tive tudo e por tão pouco tempo
e me viciei...
 

És droga, praga, ardil, feitiço!
Poção traiçoeira, veneno mortal,
dor de brincadeira!
 

Me contaminei, bebi do teu amor
até cair.
Depois, nos teus braços, sumi.
E nunca mais me encontrei.
 

Agora vivo de fachada, nesse quase nada,
que é a tua lembrança.
Coisa de criança, nosso amor menino,
só vingou em mim.
Lílian Maial
Enviado por Lílian Maial em 02/12/2014
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (cite o nome do autor e o link para o site "www.lilianmaial.com"). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.


Comentários



Site do Escritor criado por Recanto das Letras
 
Tweet