Lílian Maial

Basta existir para ser completo - Fernando Pessoa

Textos


EU VIAJEI NO RASTRO DE UM POEMA TRISTE     
                                                                                            ®Lílian Maial
 

Eu viajei no rastro de um poema triste,
e dei carona ao sol, cicerone da lua,
prisioneira de toda a contramão que existe,
senhoria das horas, que o peito jejua.
 

Eu naveguei na proa de um verso que assiste
ao naufragar da aurora, sem tábua e sem pua,
sem leme da palavra, a vida, dedo em riste,
apontando o caminho, que a solidão flutua.

 
Eu me joguei do alto de um soneto em chamas,
que ardia as pobres rimas, tal e qual feitiço,
o mesmo que o poeta insiste em escandir.

 
Então me tatuei nas linhas que declamas,
queimando em tua boca, nas brasas que eu atiço,
marcada p’ra que nunca mais me deixes ir!

 
***************

 
 
 
 
Lílian Maial
Enviado por Lílian Maial em 23/04/2013
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (cite o nome do autor e o link para o site "www.lilianmaial.com"). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.


Comentários



Site do Escritor criado por Recanto das Letras
 
Tweet