Lílian Maial

Basta existir para ser completo - Fernando Pessoa

Textos


AVOADA
® Lílian Maial
 
 

O pássaro que me habita bate asas ao contrário,
sobe pelas paredes,
desperta no meio da noite,
molha o bico nas luzes da rua.
 
Brinca de voar debaixo d’água,
no chuveiro,
e canta...
 
O pássaro que tem meu nome é um bicho estranho,
ele se vê no meio do furacão
e se afasta, sem pudor.
Foge, na verdade.
 

Tem medo de escuro, de gente,
tem medo de leis e dos homens,
pássaro covarde
ou, simplesmente, só.
 
O pássaro que mora em mim queria ser imortal,
mas suas asas pesam, em dias de chuva,
e derretem, em dias de sol.
 
Passarinho sem vergonha,
volta e meia se finge de morto,
apaga a canção e cerra os olhos,
até que eu me abra a gaiola.
 
 
**********
Lílian Maial
Enviado por Lílian Maial em 27/11/2012
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (cite o nome do autor e o link para o site "www.lilianmaial.com"). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.


Comentários



Site do Escritor criado por Recanto das Letras
 
Tweet