Lílian Maial

Basta existir para ser completo - Fernando Pessoa

Textos


CANTO DE AMOR Nº 11 - MARINUS
Lílian Maial


 
 
Por onde anda aquele que me conduz pelas águas dos mares todos?
Aquele por quem as ondas se aquietam e as algas bailam em reverência.
... Eu, que invejo os peixes e todos os seres marinhos que te compartilham a paz;
Eu, que julgava flutuar nas alturas, nas asas do pensamento, e hoje percebo que nunca saí do chão.
Por onde anda o homem sem limites, cujas fronteiras esmaecem e se fundem à loucura e à agonia, numa pacífica batalha nas entranhas?
Aquele, o eleito da ventura, por quem todos os sinos dobram ante seu nome.
O que tem cheiro de promessa e gosto de destino.
O que tem olho de raio – luz, gozo e morte – e pálpebras de leito.
Aquele que me denuncia os instintos e me atira a razão.
A mim, a quem nada mais resta, senão calçar seus passos e beber suas palavras.
..
Lílian Maial
Enviado por Lílian Maial em 18/11/2011
Alterado em 25/12/2015
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (cite o nome do autor e o link para o site "www.lilianmaial.com"). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.


Comentários



Site do Escritor criado por Recanto das Letras
 
Tweet