Lílian Maial

Basta existir para ser completo - Fernando Pessoa

Textos

Soneto da Contradança
 
                        © Lílian Maial







Eu danço, com meus pés pisando a rima,
nos passos de um balé de tantos ais.
E danço, revivendo a pantomima
do sonho, que elimina o nunca mais.

Eu danço, e minha dança me aproxima
da dor de quem saltita em mil punhais.
E danço, celebrando essa vindima
nos campos dos teus olhos sazonais.

Na dança eu me redimo da ousadia
de um dia, sem temor, dizer teu nome
ao vento, qual guitarras dos meus fados!

Eu danço, pois a dança é poesia,
é fogo, é gelo, é luz, é sede, é fome.
Dançando eu reinvento os teus cuidados!
 
 
************

Lílian Maial
Enviado por Lílian Maial em 27/09/2011
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (cite o nome do autor e o link para o site "www.lilianmaial.com"). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.


Comentários



Site do Escritor criado por Recanto das Letras
 
Tweet