Lílian Maial

Basta existir para ser completo - Fernando Pessoa

Textos

DESATINO
          ®Lílian Maial
 

 


 
 
Pelos caminhos turvos dessa estrada:
desfiladeiros, becos, armadilhas.
Não vê sentido algum quem conta as milhas...
Sofre o poeta a dor da madrugada.
 
É tão sutil a luz na encruzilhada,
é tão fugaz o afeto nas partilhas,
como quem perde o rumo em tantas trilhas,
e assiste ao fim do amor de arquibancada.
 
Não há sentido algum em construir,
Se a poesia é morte e sofrimento,
E vã promessa, doce veleidade.
 
Há que se erguer do pó e do porvir,
O sangue, o húmus forte, o alimento,
Para forjar o pão da liberdade!
 
 
*****************
Lílian Maial
Enviado por Lílian Maial em 27/09/2011
Alterado em 27/09/2011
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (cite o nome do autor e o link para o site "www.lilianmaial.com"). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.


Comentários



Site do Escritor criado por Recanto das Letras
 
Tweet