Lílian Maial

Basta existir para ser completo - Fernando Pessoa

Textos


DESENCANTAMENTO
                         para Antônio Adriano de Medeiros

 
Primeiro é preciso encontrar a fome, 
a necessidade. Porque todo poema é
alimento. Os versos são pão e vinho.
O poeta precisa aprender que o seu papel
não é colher a uva, mas se deixar embebedar.
Não é devorar a casca, o miolo,
mas aprender a semear o solo e o verbo.
Ser poeta é saber crescer na miséria
de carne, de pão, de uva.
É descobrir-se sedento e esfomeado
toda vez que um verso lhe ronda a face.
Um poema não sabe nada de Vida e de Morte:
ele é a magia, em si, que, se decifrada,
vira palavra no papel.
 
                Lílian Maial
Lílian Maial
Enviado por Lílian Maial em 23/04/2010
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (cite o nome do autor e o link para o site "www.lilianmaial.com"). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.


Comentários



Site do Escritor criado por Recanto das Letras
 
Tweet