Lílian Maial

Basta existir para ser completo - Fernando Pessoa

Textos


Eu Tenho um Rio
Lílian Maial
 
 
eu tenho um rio que brota de dentro
e traz à tona o que foi sedimentar
 
tenho margens estreitas, correnteza furiosa
sem escolhas, apenas desaguar
 
invado e erodo, aliso cascalhos
até escorregar no limo do verbo
 
eu tenho um rio que leva as paredes
que se erguem em meio ao lixão da poesia
e soterra a palavra viva
 
eu tenho um rio de inundadas faces
e chovo poemas de sangue
 
eu tenho um Rio de Janeiro no peito estiado
e expio a falta da lembrança do teu rosto
 
 
************
 
 
LAMA E LÁGRIMA
Luiz de Aquino
 

Brotava de mim um poema choroso,
de chuva de letras e lágrimas vírgulas.

 Um veio de triste manchava meus olhos
à lama escura de um lixão esquecido.

 Chorei plástico e lata, indefinido orgânico,
e fiz brotar o chorume na raiz das casas.

 Eu não chorei um rio, mas o Rio de tantos
corações e janeiros, desde Sá e Araribóia.

Um rio de cá, o outro de lá e Itaipu.

 Não era um céu, mas meus olhos; o verso,
um claro de lama e pedras sem verde.

 E um rastro de sal na lama e na lágrima.
A bênção, Bumba (meu morro)!

 
**************


Lílian Maial
Enviado por Lílian Maial em 08/04/2010
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (cite o nome do autor e o link para o site "www.lilianmaial.com"). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.


Comentários



Site do Escritor criado por Recanto das Letras
 
Tweet