Lílian Maial

Basta existir para ser completo - Fernando Pessoa

Textos


Cantos dos Cantos de Amor
Lílian Maial
 
 
Canto II



Por onde anda aquele, por quem meu coração palpita?
O que tem mãos como nuvens, espalhando no céu os desenhos todos,
os rabiscos que meu amor traça no vento?
O que tem braços de amarras, sete nós de marinheiro,
trancando todas as saídas?
Ó amado, que me envolve entre todas as estrelas-do-mar,
que me enleva espuma e me faz cócegas, ao piscar toda essa timidez sonsa.
O que tem os ombros de vigas, rijos pilares onde meu amor se apóia - sustentação e conforto - os mesmos ombros que me carregam nas brincadeiras do amor.
Vem, amado meu, encontrar a mulher entre todas as mulheres,
a bem-aventurada, digna dos teus pensamentos!
És o eleito entre tantos bravos, tantos guerreiros, tantos castos, tantos poetas, escolhido por tua cabeça de filho dileto, aconchegado entre os seios, por teus olhos de abismo e teus lábios de brasa.


************
Lílian Maial
Enviado por Lílian Maial em 04/05/2009
Alterado em 04/05/2009
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (cite o nome do autor e o link para o site "www.lilianmaial.com"). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.


Comentários



Site do Escritor criado por Recanto das Letras
 
Tweet