Lílian Maial

Basta existir para ser completo - Fernando Pessoa

Áudios

LUNAR
Data: 13/08/2006
Créditos:
LUNAR - Lílian Maial - Brasil
Soneto recitado por Eugénio de Sá - Portugal
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (cite o nome do autor e o link para o site "www.lilianmaial.com"). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.

LUNAR

Lílian Maial


Lá fora, a lua sabe a altura dos meus sonhos,
E, em seu semblante, guarda a luz do meu amor.
Quem sabe, um dia, não verei, desse langor,
A poesia a iluminar olhos tristonhos.

Dependurada, esbelta e livre, está sozinha,
Tão solitária, que, de dó, chorei por ela.
Foi num lamento que me entrou pela janela,
De compaixão, acalentei a pobrezinha.

Por que será que todo mês a reconheço,
Nesse vestido, todo em rendas traiçoeiras,
Como uma noiva prometida sem altar?

Será que eu mesma não paguei tão alto preço,
De te esperar, vestida assim, a vida inteira,
Como essa lua, condenada a não amar?


*********
Enviado por Lílian Maial em 13/08/2006

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (cite o nome do autor e o link para o site "www.lilianmaial.com"). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.



Comentários



Site do Escritor criado por Recanto das Letras
 
Tweet